Brendan Fraser emociona público no Festival de Cinema de Veneza

Reconhecimento
The Whale
Interpretação emocionante
Uma emocionante atuação
Rosto conhecido da TV
A mudança inesperada na aparência
A explicação
A retomada de uma estrela dos anos 1990
O começo como dublê em Los Angeles
'O Homem da Califórnia': seu grande salto para Hollywood
Ator de comédia adolescente
Anos de glória
Excesso de trabalho
Vítima de violência s e x u a l
Um almoço traumático
A agressão levou o ator à depressão
15 anos para revelar a verdade
Lesões físicas
Divórcio em meio à tempestade
Passou a fazer pequenas produções
Reencontrando a confiança como ator
Vários trabalhos para estrear em 2022
'The Whale' promete causar grande repercussão
'Killers of the Flower Moon' e 'Behind the Curtain of Night'
Ia ser Vagalume, o vilão de 'Batgirl'
Reconhecimento

Seis minutos duraram os aplausos que esta grande estrela da interpretação recebeu no Festival de Cinema de Veneza 2022. Após um período difícil em sua vida, Brendan Fraser ressurge com um trabalho merecedor da homenagem.

The Whale

Trata-se do filme 'The Whale', dirigido por Darren Aronofsky e do qual o ator é protagonista. Na foto, posa ao lado de Samuel D. Hunter, Sadie Sink, Hong Chau e do já citado diretor.

Interpretação emocionante

Com os aplausos recebidos, Brendan não segurou as lágrimas, algo que aconteceu com muitos expectadores durante a exibição de 'The Whale' no evento.

Uma emocionante atuação

Isso porque o longa conta a comovente história de um professor de literatura com obesidade mórbida e preso a uma cadeira de rodas, que tenta reaproximar-se de sua filha de 17 anos. O papel poderia render-lhe a indicação ao Oscar de Melhor Ator.

Rosto conhecido da TV

A menina, por sua vez, é interpretada por Sadie Sink, atriz que dá vida a Max, na aclamada série 'Stranger Things', da Netflix.

A mudança inesperada na aparência

De fato, no final de 2021, Brendan Fraser havia deixado fãs preocupados ao aparecer com sobrepeso no Festival de Tribeca, em Nova York, para apresentar o filme 'Nem um Passo em Falso' ('No Sudden Move').

A explicação

Foi então quando ele explicou que seu novo aspecto devia-se às gravações de 'The Whale'.

A retomada de uma estrela dos anos 1990

Brendan Fraser foi um dos atores mais requisitados de Hollywood nas décadas de 1990 e 2000. Protagonizou 'George - o Rei da Floresta' ('George - o Rei da Selva', em Portugal) e 'A Múmia', mas, por diferentes motivos, entrou numa fase difícil da vida, que parece haver chegado ao fim. Continue na galeria para relembrar sua trajetória!

O começo como dublê em Los Angeles

Desde a adolescência, Brendan Fraser interessou-se pelo mundo da interpretação. Formou-se em teatro no Cornish College of Art de Seattle, em 1990 e, no ano seguinte, foi para Los Angeles tentar a sorte. Conseguiu um trabalho de dublê de ação, em que ele era lançado contra uma máquina de pinball e, por conta disso, fraturou uma costela. Talvez um sinal de uma carreira cheia de sobressaltos...

'O Homem da Califórnia': seu grande salto para Hollywood

Essa pequena participação foi fundamental para que Brendan Fraser fosse escolhido, em 1992, para protagonizar 'O Homem da Califórnia' ('Encino Man'), ao lado de Sean Astin. Nesta comédia, interpreta um homem pré-histórico que aparece em Los Angeles, nos anos 1990.

Ator de comédia adolescente

Hollywood então abriu-lhe as portas. Em 1992, o ator participou, junto com Ben Affleck, Matt Damon e Chris O'Donnell do filme 'Código de Honra'. Já ao lado de Steve Buscemi e Adam Sandler, apareceu em 'Os Cabeça-de-vento' ('Airheads'), em 1994. Dois anos depois, contracena com Albert Brooks em 'O Pancada' ('The Scout').

Anos de glória

A partir daí, Fraser chegou à grande saga de 'A Múmia' e a outros filmes como 'De Volta para o Presente' (1998), 'Endiabrado' (2000), 'O Americano Tranquilo' (2002) e 'Crash' (2006).

Excesso de trabalho

Mas o sucesso, às vezes, pode virar um pesadelo e com Brendan Fraser não foi diferente. Seus primeiros problemas foram consequência do ritmo excessivo de trabalho. O corpo começou a sentir e ele começou a sofrer com lesões de trabalho e estresse. Em uma entrevista à GQ disse: "Eu estava me esforçando demais, de uma forma destrutiva para mim".

Vítima de violência s e x u a l

Seus problemas agravaram-se em 2003, quando o ator sofreu violência s e x u a l. Ele só revelou o ocorrido durante uma entrevista em 2018. Foi a razão para que começasse a se afastar, aos poucos, da vida pública e entrasse num caminho arriscado para a sua vida profissional.

Um almoço traumático

A violência sofrida em 2003 aconteceu em um hotel de Beverly Hills, durante um almoço organizado pela Associação de Imprensa Internacional de Hollywood. Naquele dia, Brendan Fraser encontrou-se com o jornalista Philip Berk, então presidente da Associação, responsável pela entrega do Globo de Ouro.

A agressão levou o ator à depressão

À revista GQ, Brendan Fraser explicou: "A mão esquerda dele (de Berk) se abriu, apertou minha a n á d e g a e um de seus dedos tocou o períneo. Fiquei doente. Senti-me como uma criança com um nó na garganta e pensei que iria cair no choro". Berk, por sua parte, garantiu que o ator havia inventado tudo. O fato é que aquilo levou Brendan a uma depressão. "Fez-me retroceder, recolher-me", lamentou.

 

15 anos para revelar a verdade

Passaram-se 15 anos, de 2003 a 2018, para que Brendan Fraser tivesse coragem de contar tudo, publicamente. A atitude deu início ao movimento #meToo, quando colegas dele encontraram forças para também denunciar situações parecidas.

Lesões físicas

Juntamente com a depressão, somaram-se as sequelas das lesões sofridas ao longo daqueles anos, durante as gravações. Brendan Fraser teve que ser operado várias vezes e isso também abalou seu estado emocional.

Divórcio em meio à tempestade

Os problemas afetaram, também, sua vida amorosa. Suas visitas aos hospitais coincidiram com a época de sua separação da atriz Afton Smith, com quem esteve casado por nove anos (e cinco de namoro). Eles tiveram três filhos: Griffin (2002), Holden (2004) e Leland (2006).

Passou a fazer pequenas produções

Além disso, ele tinha a sensação de que tanto Berk quanto a Associação que presidia fariam de tudo para boicotar a sua carreira. Esse sentimento levou Brendan Fraser a se dedicar a pequenas produções. Foi assim que ele acabou caindo, por um tempo, no esquecimento do grande público.

Reencontrando a confiança como ator

O ressurgimento de Brendan Fraser começaria em 2006, quando foi escalado para interpretar o melancólico funcionário de prisões, John Gunther, na série 'The Affair'. Daí em diante,  seguiu colecionando novos trabalhos, que lhe possibilitaram o resgate da confiança em si. Foi o caso de produções como 'Trust" e 'Doom Patrol'.

Vários trabalhos para estrear em 2022

Hoje em dia, Brendan Fraser volta a viver uma "segunda juventude" como ator. Tem três filmes previstos para estrear em 2022:  'Killers of the Flower Moon', de Martin Scorsese, 'The Whale', de Darren Aronofsky, e 'Behind of the Curtain of Night'.

'The Whale' promete causar grande repercussão

Em uma entrevista à Newsweek sobre 'The Whale', ele disse: "Não tem nada a ver com qualquer coisa que tenha ocorrido anteriormente, mas posso dizer que, mesmo que não a tenha visto ainda, vai causar um grande impacto."

'Killers of the Flower Moon' e 'Behind the Curtain of Night'

Já em 'Killers of the Flower Moon', veremos Brendan Fraser ao lado de Leonardo di Caprio e Robert de Niro, em uma história sobre os nativos da tribo americana Osage, assassinados em circunstâncias misteriosas. 'Behind the Curtain of the Night' é sobre um homem que volta à vida com a capacidade de ver vidas passadas.

Ia ser Vagalume, o vilão de 'Batgirl'

Em 2022, o ator iria se transformar em Vagalume, o vilão de 'Batgirl', do Universo DC, como informou The Hollywood Reporter. Na produção, Leslie Grace faria o papel da super-heroína. Entretanto, para surpresa mundial, o filme foi cancelado.

Más para ti