Teste para saber se seu gato é um psicopata!

A atitude do seu gato é preocupante?
Estudo científico
A psicopatia do gato
A pesquisa
Teste específico
As perguntas do teste
Um felino normal?
Sobrevivência
Linhagem de evolução
Prioridades do gato
Diferentes personalidades
Relacionamento gato-dono
Amantes de gatos
Gatos ousados
Mais pesquisas são necessárias
E os cães?
A atitude do seu gato é preocupante?

Os gatos podem ser muito dóceis, mas também costumam ter atitudes estranhas ou hostis. Esta diferença de comportamento levou um grupo de cientistas a investigar o tema a fundo. Confira na galeria!

Estudo científico

Um estudo recente de pesquisadores da Universidade de Liverpool John Moores afirma que certos tipos de comportamento podem significar que seu gato é um animal psicopata!

A psicopatia do gato

Em outras palavras, a ideia era descobrir se os “animais peludos” têm traços de psicopatia felina. O teste foi feito com os donos dos gatos, que responderam um questionário de 46 perguntas.

A pesquisa

Primeiro, o questionário media os traços de ousadia, maldade e desinibição dos animais, essenciais para determinar uma psicopatia. Depois disso, ao tratar-se de gatos - e não de humanos - também foram levados em consideração outros dois fatores: hostilidade com humanos e hostilidade com outros animais de estimação.

Teste específico

Ao todo, participaram da pesquisa, um total de 549 donos de gatos. O estudo completo foi chamado de Cat Triarchic Plus ou CAT-Tri+. Foram medidos não só os fatores comumente usados para determinar patologias em humanos (ousadia, maldade e desinibição), mas também aspectos específicos dos felinos.

As perguntas do teste

As perguntas eram, por exemplo: "Meu gato vocaliza alto (miados, uivos) sem motivo aparente?", "Meu gato corre pela casa sem motivo aparente?", "Meu gato parece não agir como culpado, depois de um mau comportamento?".

Um felino normal?

A maioria das perguntas, realmente, parece descrever o comportamento médio dos gatos. Assim, o estudo revelou que todos os gatos têm algum nível de psicopatia. O motivo, segundo os cientistas, é a própria evolução da espécie.

Sobrevivência

O Journal of Research in Personality diz: "Num ambiente selvagem, os gatos que tinham mais traços psicopáticos, provavelmente, foram mais bem-sucedidos em conseguir comida, dominar um território e acasalar".

Linhagem de evolução

Isto quer dizer que nossos queridos animais de estimação vêm de uma longa linhagem de felinos com traços psicopáticos. O comportamento "estranho" era, em outra época, a melhor maneira de sobreviver.

Prioridades do gato

Mas não se preocupe! Provavelmente, o seu gato psicopata não quer devorar você. Ele só quer saber de: administrar a casa, comer, e ser um companheiro desejável.

Diferentes personalidades

A pesquisadora Rebecca Evans conversou com a Vice's Motherboard sobre os motivos que levou sua equipe a estudar o assunto. "Alguns de nós, cientistas, temos gatos em casa, assim, as diferenças na personalidade dos animais serviram de inspiração", disse.

Relacionamento gato-dono

"Pessoalmente, também estou interessada em observar como a psicopatia é percebida pelo dono do gato; e como esta percepção pode afetar o relacionamento gato-dono. Meu gato (Gumball) é muito desinibido. Sei disso, porque ele mia muito, procura estar sempre perto de alguém e é facilmente excitável!"

Amantes de gatos

Outra colega cientista, Minna Lyons, falou à Vice's Motherboard que, depois de estudar psicopatia em humanos, roedores e primatas, ela e os pesquisadores, todos amantes de gatos, decidiram unir esforços para descobrir se a psicopatia era algo relevante nos felinos.

Gatos ousados

Lyons também disse que seu gato, Axel, que participou do estudo, mostrou alguns sinais de psicopatia felina: "Axel é exageradamente ousado. Ele entra nas casas, nos carros e nas garagens dos vizinhos para procurar comida".

Mais pesquisas são necessárias

Apesar da pesquisa haver sido feita com um número considerável de participantes, seria necessário ampliá-la para provar que os gatos são, realmente, psicopatas.

E os cães?

Se aplicássemos algumas das mesmas perguntas aos nossos cães de estimação, poderíamos ter pistas sobre o estado de saúde mental destes seres!

Más para ti