Encontrada morta Kasia Gallanio, ex-princesa do Catar

Adeus inesperado para Kasia Gallanio
Morte revelada dois dias depois
A filha de Kasia não conseguia encontrá-la
O pior
Sem sinais de violência
Overdose?
Ex-esposa de Abdelaziz bin Khalifa Al-Thani
Longa luta pela guarda de suas três filhas
Briga judicial desde 2012
Uma acusação muito grave
Reclamação de sua própria filha
Elas moram com o pai em Paris
Os problemas de Kasia Gallanio
Caso adiado
Depressão?
Difícil reencontro
Adeus inesperado para Kasia Gallanio

Trágica e misteriosa. Assim foi a morte de Kasia Gallanio, ex-princesa do Catar. Seu corpo foi encontrado em sua casa, na cidade de Marbella, reduto dos ricos e famosos no sul da Espanha, às margens do Mediterrâneo.

Foto: Instagram - @kashounia

Morte revelada dois dias depois

Membros da Polícia Nacional Espanhola encontraram Kasia Gallanio sem vida no dia 29 de maio. No entanto, a notícia só saiu à luz no dia 31 de maio, através do jornal francês Le Parisien.

Foto: Instagram - @kashounia

A filha de Kasia não conseguia encontrá-la

Foi uma das filhas de Kasia Gallanio que, incapaz de localizar sua mãe por quatro dias, não hesitou em chamar as autoridades para ver se havia algo errado.

Foto: Instagram - @kashounia

O pior

A jovem autorizou a Polícia Nacional a entrar na casa de sua mãe, acompanhada pelo porteiro.

Foto: Instagram - @kashounia

Sem sinais de violência

Conforme relatado pelo jornal El Mundo, após uma primeira exploração do local, a Polícia Nacional determinou que não havia sinais de violência.

Foto: Instagram - @kashounia

Overdose?

Enquanto aguarda-se a realização da autópsia, Le Parisien aponta uma overdose de substâncias como a razão da morte de Kasia Gallanio.

Foto: Instagram - @kashounia

Ex-esposa de Abdelaziz bin Khalifa Al-Thani

Kasia Gallanio, nascida em Los Angeles, mas de origem polonesa, tinha 46 anos e foi casada com Abdelaziz bin Khalifa Al-Thani, tio do emir do Catar.

Foto: Instagram - @kashounia

Longa luta pela guarda de suas três filhas

O ex-casal estava no meio de uma briga pela guarda das três filhas que tinha em comum, segundo Le Parisien.

Foto: Instagram - @kashounia

Briga judicial desde 2012

Uma batalha judicial que, segundo a mídia francesa, durou muito tempo, desde que as hostilidades começaram em 2012.

Foto: Instagram - @kashounia

Uma acusação muito grave

De acordo com Le Parisien, Abdelaziz bin Khalifa Al-Thani enfrentava uma acusação de abusar de uma de suas filhas, algo que sempre negou.

Foto: Instagram - @kashounia

Reclamação de sua própria filha

Foi a própria menor quem denunciou os acontecimentos, o que levou a Procuradoria de Paris a abrir uma investigação específica, a cargo da brigada de polícia de proteção de menores.

Foto: Instagram - @kashounia

Elas moram com o pai em Paris

Apesar disso, as três filhas comuns do casal moram com o pai, em uma mansão espetacular na exclusiva avenida Montaigne, em Paris. Lá, estabeleceu-se Abdelaziz bin Khalifa Al-Thani, após deixar o cargo de ministro do Petróleo e Finanças do Catar, em 1992 .

Foto: Instagram - @kashounia

Os problemas de Kasia Gallanio

Segundo a revista Gala, Abdelaziz bin Khalifa Al-Thani conseguiu a guarda das três filhas devido a problemas com a bebida que Kasia Gallanio poderia ter tido. No final de 2021, como aponta Le Parisien, ela passou vários meses internada.

Foto: Instagram - @kashounia

Caso adiado

As contínuas crises nervosas de Kasia Gallanio, bem como as repetidas vezes que foi submetida a desintoxicação, levaram o Tribunal Judicial de Paris a adiar o caso até que uma avaliação psicológica dela fosse obtida.

Foto: Instagram - @kashounia

Depressão?

Gala sugere que a dura e prolongada batalha nos tribunais com o ex-marido teria causado a Kasia Gallanio uma profunda depressão. A doença poderia ter influenciado no desfecho fatal.

Foto: Instagram - @kashounia

"Morreu de tristeza"

De fato, a advogada de Kasia Gallanio, Sabrina Boesch, garantiu ao Le Parisien que sua cliente "morreu de tristeza", referindo-se à decisão do juiz de retirar-lhe a guarda das filhas.

Foto: Instagram - @kashounia

Difícil reencontro

A advogada acompanhou as duas filhas mais v e l h a s da falecida, Yasmeen e Malak, gêmeas de 17 anos, no momento de identificar o corpo da mãe.

Foto: Instagram - @kashounia

Veja também: Atriz Marnie Schulenburg morre aos 37 anos, após diagnóstico errado

Más para ti