Corredora olímpica de 25 anos é assassinada no Quênia

Adeus a uma campeã
Tinha 25 anos
Confirmação oficial
Investigação
Em busca do marido
Discussões frequentes
Facadas mortais
Homenagem do Presidente do Quênia
Uhuru Kenyatta
Recorde mundial recente
A mais rápida
Fim trágico para uma grande atleta
Fim de tudo
Ativa no Instagram
Uma menina de ouro
Adeus a uma campeã

Choque, raiva e dor. A corredora Agnes Jebet Tirop foi encontrada morta dentro de sua casa no condado de Elgeyo Marakwet, no Quênia. Seu fim foi muito violento.

Tinha 25 anos

A corredora ficou em quarto lugar na prova de 5.000 metros nas Olimpíadas de Tóquio. Tinha apenas 25 anos e tudo indica que foi vítima de violência de gênero.

Confirmação oficial

Foi a Federação Queniana de Atletismo que confirmou o crime através de um comunicado.

Investigação

“Ainda estamos trabalhando para descobrir mais detalhes sobre sua morte. O Quênia perdeu uma joia. Ela foi um dos grandes nomes do atletismo que mais subiu no cenário internacional”, diz o comunicado.

Em busca do marido

A corredora foi encontrada sem vida no chão de sua casa, com várias facadas fatais no abdômen. Segundo a mídia queniana, a polícia procura o marido, que está desaparecido. Suspeita-se que ele foi o autor do crime hediondo.

Discussões frequentes

Na verdade, conforme relatado no portal Kenyans.co.ke, os vizinhos do casal apontam que as brigas eram comuns entre Agnes Jebet Tirop e seu marido.

Facadas mortais

Provavelmente, uma dessas discussões levou ao assassinato machista da atleta queniana, que foi deixada no chão da casa, enquanto seu marido fugia do local.

Homenagem do Presidente do Quênia

O assunto repercutiu tanto no Quênia que o presidente do país, Uhuru Kenyatta, lamentou o falecimento da corredora, enviando condolências a familiares, amigos e colegas.

Uhuru Kenyatta

“É preocupante e muito triste termos perdido uma jovem atleta promissora que trouxe tanta glória ao nosso país com suas façanhas no atletismo mundial”, declarou Uhuru Kenyatta.

"Uma heroína do Quênia"

O presidente Uhuru Kenyatta acrescentou: "Mas é ainda mais doloroso que Agnes, uma heroína queniana em todos os sentidos, tenha perdido dolorosamente sua jovem vida em um ato criminoso perpetrado por alguém egoísta e covarde."

Recorde mundial recente

Agnes Jebet Tirop estava em seu melhor momento esportivo. Acabava de quebrar o recorde mundial dos 10 quilômetros em Herzogenaurach (Alemanha).

A mais rápida

Seu resultado foi 30'01'', melhor que a marca anterior de 30'29'' que vigorava desde junho de 2002, nas mãos da franco-marroquina Asmae Leghzaoui (foto).

Fim trágico para uma grande atleta

Agnes Jebet Tirop conquistou a medalha de bronze em 10.000 metros no Mundial de 2017 e repetiu o feito no Mundial de 2019.

Fim de tudo

Nos Jogos Olímpicos de Tóquio ela também terminou em quarto lugar na mesma prova, mas era evidente que evoluiria a um sucesso maior. Isso não será mais possível.

Ativa no Instagram

No seu perfil do Instagram, Agnes Jebet Tirop compartilhava imagens dos seus treinos pela rua e competições em que participava.

Uma menina de ouro

É possível ver o quanto ela era dedicada ao esporte. Aos 19 anos, tornou-se a segunda medalhista de ouro mais jovem da história em corrida feminina, após ganhar o Campeonato Mundial IAAF em 2015.

Más para ti