Assim está planejado o funeral da Rainha Elizabeth II

Compromisso e força
Bom estado de saúde
Operação London Bridge
A atual pandemia
Londres lotada
Um roteiro de chamadas
A vez do público
Os termos corretos
O abaixamento da bandeira
Um sinal dos tempos
Sem comentários
Dia D
Dia D + 1: Um novo rei
Sem Parlamento
Dia D + 2
A preparação para o funeral
Cinco dias após a morte
Despedida aberta
Dia Nacional de Luto
Dia D + 10
Compromisso e força

A Rainha Elizabeth II é uma das maiores monarcas da História e quem ocupa por mais tempo o trono britânico. Tem administrado com equilíbrio e elegância as mudanças do mundo e os escândalos que já envolveram sua família. E, com toda certeza, sua morte será lamentada por milhões de pessoas.

Bom estado de saúde

Aos 95 anos, The Queen mantém uma boa saúde e não dá sinais de que vá diminuir o ritmo. Ela admitiu, recentemente, que abdicar nunca será uma opção e permanecerá no cargo até seu último dia. Mas o que vai acontecer quando esse temido momento chegar?

Operação London Bridge

A Operação London Bridge, como é chamado o plano cujos detalhes vazaram em 2017, de acordo com The Guardian, contempla várias opções, a depender de onde a monarca estará no momento. Entretanto, Elizabeth II já não viaja tanto, com o qual a probabilidade dela morrer no exterior é muito pequena.

A atual pandemia

Agora, o plano elaborado pelo Gabinete do Governo dependerá da situação da pandemia no momento, embora seu teor não tenha mudado muito ao longo dos anos.

Londres lotada

Sabe-se que uma ampla operação de segurança irá controlar as esperadas grandes multidões que inundarão a capital. As viagens aumentarão e todos os braços do Estado britânico serão chamados para lidar com a comoção.

Um roteiro de chamadas

A Operação London Bridge começa com uma cascata de chamadas, onde o primeiro-ministro, o secretário do gabinete e vários dos ministros e funcionários mais importantes serão informados pelo secretário particular da Rainha.

A vez do público

Somente depois destas pessoas serem contatadas, a notícia será compartilhada com o público. Portanto, pode se passar um tempo considerável até que saibamos da morte da rainha da Inglaterra. A própria família real entregará a notificação oficial.

Os termos corretos

No documento, as autoridades são orientadas sobre a melhor forma de divulgar a notícia. Segundo POLITICO, devem dizer: “Acabamos de ser informados da morte de Sua Majestade, a Rainha”. Além disso, clama-se por discrição.
Ministros e funcionários públicos seniores também receberão um e-mail do secretário de gabinete, cujo rascunho diz: "Caros colegas, é com tristeza que escrevo para informá-los da morte de Sua Majestade, a Rainha”.

O abaixamento da bandeira

Havia uma preocupação com relação ao hasteamento a meio-mastro da bandeira Reino Unido, já que não havia uma pessoa exclusivamente designada para isso. Mas parece que Downing Street retificou esse problema e a região está preparada para quando a triste hora da Rainha chegar.

Um sinal dos tempos

A Operação London Bridge fala muito de mídia social: “O site da família real mudará para uma página p r e t a com uma curta declaração confirmando a morte da rainha (como foi o caso do falecido Príncipe Philip). O site do governo do Reino Unido - GOV.UK - exibirá uma faixa preta no topo. Todas as páginas de mídia social departamentais do governo também mostrarão uma faixa preta e mudarão suas fotos de perfil para o brasão departamental. Conteúdo não urgente não deve ser publicado. Os retweets são explicitamente proibidos, a menos que sejam liberados pelo chefe de comunicação do governo central.”

Sem comentários

Não haverá nenhum comentário de nenhum ministro do Reino Unido até que o primeiro-ministro fale primeiro, publicamente. Em seguida, haverá saudações com tiros, organizadas pelo Ministério da Defesa, e minuto de silêncio a ser respeitado nacionalmente.

Dia D

O dia da morte da Rainha Elizabeth será referido internamente como "Dia D", e todos os dias depois como "Dia D + 1", "Dia D + 2" e assim por diante. No final do Dia D, o novo rei, Charles, fará uma declaração ao povo.

Dia D + 1: Um novo rei

O governo se reunirá após a morte de Elizabeth II para proclamar Charles como o novo soberano, no Palácio de St. James. Centenas de pessoas estarão presentes e todos foram instruídos sobre suas vestimentas: cores escuras e sem decoração.

Sem Parlamento

O Parlamento será fechado por 10 dias após a morte da Rainha. Antes disso, porém, eles publicará uma mensagem de condolências e fará homenagens na Câmara dos Comuns.

Dia D + 2

O corpo será transferido em um trem real, se a rainha morrer no Reino Unido, ou em avião, se estiver no exterior. O trem será recebido pelo primeiro-ministro e outras autoridades em St Pancras, e, depois, o caixão será levado ao Palácio de Buckingham.

A preparação para o funeral

O novo rei Charles iniciará uma excursão pelo Reino Unido, começando com o parlamento escocês e uma missa na Catedral de St. Giles, em Edimburgo. Depois, irá para a Irlanda do Norte e País de Gales, retornando a Londres para o funeral, 10 dias após a morte da Rainha.

Cinco dias após a morte

Haverá uma procissão do Palácio de Buckingham ao Palácio de Westminster que seguirá uma rota cerimonial por Londres. Na chegada do caixão, haverá uma missa no Westminster Hall.

Despedida aberta

Como informa POLITICO, a rainha ficará no Palácio de Westminster por três dias, período que chamarão Operação Feather. Seu caixão estará em uma plataforma elevada conhecida como catafalco, no meio do Westminster Hall, que estará aberto ao público 23 horas por dia. As entradas serão emitidas com horário determinado para VIPs. Parece que essa parte do plano é a mais problemática, devido às restrições de covid-19.

Dia Nacional de Luto

Será concedido feriado bancário no “Dia Nacional de Luto”, anunciado pelo Primeiro-ministro. Caso o funeral caia em um fim de semana ou feriado bancário já existente, um dia extra não será concedido. O feriado bancário não significa que os empregadores sejam obrigados a dar folga aos seus funcionários. Isto será combinado entre as duas partes.

Dia D + 10

O funeral de Estado será realizado na Abadia de Westminster e, depois disso, ao meio-dia, haverá um silêncio de dois minutos em todo o país. Depois disso, as procissões acontecerão em Londres e Windsor. As semanas fúnebres terminarão com uma cerimônia religiosa na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor quando, finalmente, a monarca será colocada em seu lugar de descanso final na Capela Memorial do Rei George VI.

Más para ti