Um temido influenciador: as polêmicas de Felipe Neto

O rei das redes
Premiado
Canal de variedades
Indignação
Acusado de crime contra a segurança nacional
A resposta de Felipe Neto
New York Times publica vídeo de Felipe Neto
Atacado por apoiadores de Bolsonaro
Contra o deputado Osmar Terra
O impeachment de Dilma Roussef
O papel dos influencers, segundo Felipe Neto
Felipe Neto e Carlinhos Maia
Felipe Neto e Neymar
Felipe Neto e Antônia Fontanelle
Bienal do Livro
Apoio de celebridades
O rei das redes

Com 41,5 milhões de inscritos no Youtube, 13,5 milhões de seguidores no Instagram e 13,1 milhões no Twitter, não é à toa que Felipe Neto seja motivo de preocupação por parte de quem é criticado por ele.

Premiado

O Youtuber, vencedor de vários prêmios por seu destaque como influencer digital no país, já foi alvo de fake news e não mediu palavras para criticar o comportamento de algumas figuras públicas.

Canal de variedades

Desde que lançou seu canal na famosa plataforma da Internet, tem publicado vídeos que vão desde partidas de jogos eletrônicos populares a opiniões políticas. E justamente nesta última área é onde se concentra sua batalha mais recente.

Indignação

Há meses, Felipe Neto expressa sua indignação pelo gerenciamento da pandemia por parte do governo Bolsonaro. Definiu o presidente brasileiro com a palavra "genocida" no Twitter, embora não tenha sido o único em usá-la.

Acusado de crime contra a segurança nacional

Devido a isso, o vereador Carlos Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, protocolou uma queixa-crime contra o youtuber acusando-o de atentar contra a segurança nacional. A intimação foi entregue, pessoalmente, pela polícia a Felipe Neto.

A resposta de Felipe Neto

Depois disso, o youtuber reiterou suas criticas ao governo federal, em um vídeo publicado nas suas redes sociais. Lembrou momentos em que o presidente definiu a covid-19 de "gripezinha", provocou aglomerações, desestimou o uso de máscaras e recusou comprar milhões de vacinas da Pfizer. "Vou chamá-lo de colegão, de amigo do povo?", disse. Finalmente, o processo foi suspenso pela Justiça do Rio de Janeiro por ser considerado ilegal.

New York Times publica vídeo de Felipe Neto

A postura de Felipe Neto com relação ao atual governo brasileiro despertou interesse inclusive do jornal estadunidense New York Times, que veiculou, em julho de 2020, um vídeo do influencer. Nele, Felipe Neto dizia que Bolsonaro era o pior líder do mundo, superando Trump, e citou a crise sanitária vivida no Brasil.

Atacado por apoiadores de Bolsonaro

Na mesma época, fake news relacionando Felipe Neto à pedofilia circularam pela internet. O youtuber foi alvo de ameaças e de ataques por parte de apoiadores de Bolsonaro, que, segundo ele, apareceram diante de sua casa. Também obteve um espaço no Jornal Nacional, da TV Globo, onde falou sobre o assunto.

Contra o deputado Osmar Terra

Já em entrevista para a Globo News, em agosto de 2020, Felipe Neto criticou a emissora por convidar Osmar Terra ao programa, já que o deputado minimizava a pandemia. "Estou falando de negacionistas científicos, pessoas que intencionalmente deturpam, manipulam e negam o que a ciência diz para tentar vender uma ideologia".

O impeachment de Dilma Roussef

O fato é que a política já era um tema tratado por Felipe Neto, antes mesmo de Bolsonaro chegar ao poder. O youtuber foi um crítico feroz dos presidentes anteriores, Lula e Dilma Roussef. Entretanto, durante entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, reconheceu: "Não sou adorador de um projeto petista, mas no momento do impeachment a minha colaboração sem dúvida foi utilizada de maneira errada, equivocada, por falta de leitura, estudo.”

O papel dos influencers, segundo Felipe Neto

Felipe Neto também cobra de influenciadores um posicionamento político. Em entrevista ao jornal espanhol El País, disse: "Qualquer comunicador que se cala sobre o que estamos vivendo é cúmplice". E citou os incêndios na Amazônia, no Pantanal, a corrupção e a pandemia.

Felipe Neto e Carlinhos Maia

Carlinhos Maia já esteve na mira de Felipe Neto algumas vezes. Entre elas, foi criticado pelo youtuber por ter feito uma festa que reuniu dezenas de pessoas em dezembro de 2020. "Pensando em quantas pessoas devem ter sido infectadas através de quem pegou (o vírus) na festa. Será que a consciência pesa? Eu duvido", escreveu Felipe Neto nas redes.

Felipe Neto e Neymar

O youtuber  comentou sobre o silêncio do jogador Neymar, na época dos protestos anti-racismo que se espalharam pelo mundo, após o assassinato de George Floyd, em junho de 2020. Pouco depois, apagou o post.

Felipe Neto e Antônia Fontanelle

A briga entre os influencers digitais começou quando Felipe Neto e seu irmão, o também youtuber Luccas Neto, processaram judicialmente Fontanelle por ela tê-los relacionado à pedofilia em um de seus vídeos.

Bienal do Livro

Felipe Neto também é um ativo defensor da causa LGBTQI+. Em setembro de 2019, o HQ "Vingadores, a Cruzada das Crianças" foi retirado da Bienal do Livro do Rio de Janeiro, sob a ordem de Marcelo Crivela, por conter, segundo o prefeito, "conteúdo impróprio". O youtuber comprou e distribuiu gratuitamente 10 mil exemplares do livro em questão.  Embalados em plástico preto, incluíam uma etiqueta que dizia: "livro impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas".

Apoio de celebridades

Atrás ficou aquele jovem que, embora tenha mostrado seu potencial desde o princípio, era mais impulsivo e imaturo. Cada vez há mais gente que simpatiza com Felipe Neto, apoiado também por várias estrelas como Xuxa, Luciano Huck, Patrícia Pillar, Aline Moraes, Marcelo Adnet e Reynaldo Gianecchine, entre outros. Todos sob o hashtag TamoJunto.

Más para ti