O lockdown retorna a Wuhan

Wuhan confinada
Um milhão de pessoas
Quatro positivos assintomáticos
Decisão formal em 24 horas
Três dias de confinamento
Jiangxia está paralisada
Sem transporte, sem lazer
Toda Wuhan atenta a Jiangxia
'Zero Covid', um objetivo distante, atualmente
Os confinamentos que não param
Uma cidade cansada
Uma crise que parece não ter fim
Número de mortes não é alarmante, segundo governo
230 mil infectados na China
Apenas 5.200 mortes (números oficiais)
Será o último surto?
Wuhan confinada

Dois anos e meio após o início da pandemia, Wuhan, a cidade chinesa que todos consideram como um potencial ponto de partida para a covid, foi, mais uma vez, confinada.

Um milhão de pessoas

Na verdade, o lockdown não foi aplicado na cidade inteira, e sim no distrito de Jiangxia, que acumula um milhão de habitantes, dos 11 milhões de cidadãos que Wuhan tem.

Quatro positivos assintomáticos

O motivo desta decisão foi a confirmação de quatro positivos assintomáticos para coronavírus, registados na terça-feira, 26 de julho.

Decisão formal em 24 horas

O regime chinês, sem dar margem de manobra, decretou o confinamento de todo o bairro em menos de 24 horas, conforme confirmado pela BBC.

Três dias de confinamento

Assim, desde a quarta-feira, 27 de julho, o distrito de Jiangxia, no centro da cidade, estará isolado por pelo menos três dias.

Jiangxia está paralisada

Os moradores deste distrito foram obrigados a permanecer em casa e, se saírem, que seja para o estritamente necessário.

Sem transporte, sem lazer

O confinamento foi contundente e severo: transportes públicos e locais de entretenimento também cessaram sua atividade por três dias.

Toda Wuhan atenta a Jiangxia

Obviamente, apesar da rápida reação, os 10 milhões de moradores restantes de Wuhan observam, assustados, o que aconteceu com o distrito de Jiangxia.

'Zero Covid', um objetivo distante, atualmente

O objetivo da China de manter uma política rigorosa de 'Zero Covid' está, por enquanto, longe de ser uma realidade.

Os confinamentos que não param

De fato, desde o início do ano, o país está em uma luta constante contra surtos da variante ômicron, que levou inclusive ao confinamento de Xangai e seus 26 milhões de habitantes, por dois meses, em 2022.

Uma cidade cansada

De fato, pela primeira vez desde que Xi Jinping chegou ao poder, o povo mostrou seu descontentamento com as políticas restritivas contra a covid, apesar do apoio, até recentemente, haver sido majoritário.

Uma crise que parece não ter fim

Às duras condições econômicas que o povo chinês enfrenta, juntam-se o descontentamento e a irritação com os novos bloqueios.

Número de mortes não é alarmante, segundo governo

Segundo dados oficiais do Governo chinês, o saldo deixado pela pandemia na China, desde o seu início, está longe de ser alarmante.

230 mil infectados na China

A população do país ultrapassa 1,4 bilhão de habitantes, mas, segundo os dados oficiais, pouco menos de 230 mil foram infectados.

Apenas 5.200 mortes (números oficiais)

De todos eles, as autoridades chinesas apontam que pouco mais de 5.200 pessoas morreram.

Será o último surto?

Independentemente de os dados serem confiáveis ou não, as medidas preventivas em Wuhan devem ser suficientes para limitar o impacto desse novo surto. Ou ameaça de surto.

Veja também: Covid-22? Entenda a versão mais recente da doença!

Más para ti