O comovente depoimento de Simone Biles sobre os abusos sofridos

Um médico depredador de ginastas
Afetada
O FBI olhou para o outro lado
Uma investigação estranha
O FBI pede desculpas
Coragem e superação
Ninguém falou com Simone Biles
Responsabilidade criminal por inação?
Exigindo justiça
Mais pessoas na prisão
Um escândalo que não para de crescer
Esconder abusos
Simone Biles e outras heroínas
Um médico depredador de ginastas

"Serei clara. Culpo Larry Nasser mas também culpo todo um sistema que permitiu esse abuso". Simone Biles foi a grande protagonista do comitê celebrado no Senado dos Estados Unidos, sobre o caso de abusos a ginastas, perpetrados por Larry Nassar. Ao ex-médico são atribuídos crimes contra 300 vítimas, mas também investiga-se o porquê do FBI não havê-lo detido assim que soube das denúncias.

Afetada

Simone Biles fez uma aparição em que foi impossível evitar qualquer lágrima. Mas a ginasta foi retumbante e apontou o FBI, a Federação de Ginástica e o Comitê Olímpico como responsáveis por não agir a tempo contra Nasser.

"Eu sou uma sobrevivente"

No seu depoimento, disse: "Sou uma sobrevivente". E acrescentou: "Não quero que nenhum outro jovem atleta passe pelo horror que vivi."

O FBI olhou para o outro lado

Simone Biles e as outras atletas convocadas  insistiram que o FBI olhou para o outro lado. De acordo com vários depoimentos, os agentes responsáveis pelo caso pareciam querer a exoneração de Nasser.

"Isso é tudo?"

Um dos detalhes mais chocantes no relato das ginastas foi fornecido por McKayla Maroney. A atleta disse a um agente do FBI que Nassar tocou suas partes íntimas por horas quando ela tinha 13 anos e o agente respondeu: "Isso é tudo?"

Uma investigação estranha

A ginasta Aly Raisman encontrou a mesma atitude no FBI: "O agente que me entrevistou estava tentando me convencer de que não valia à pena prosseguir com o processo penal".

"Por que nada foi feito?"

Esta é a pergunta que Simone Biles e suas colegas repetiram no comitê. E, como tantas vezes neste tipo de caso, dá a impressão de que era mais importante que a equipe de ginástica ganhasse medalhas do que o bem-estar das atletas.

O FBI pede desculpas

O diretor do FBI, Christopher A. Wray, foi encarregado de pedir desculpas às ginastas abusadas. Ele fez isso neste mesmo comitê em que as sobreviventes levantaram suas vozes.

Coragem e superação

As ginastas que prestaram depoimento fizeram uma demonstração de coragem que comoveu a sala onde foram ouvidas.

Ninguém falou com Simone Biles

Outro detalhe curioso: embora Simone Biles fosse a estrela do time olímpico e a investigação dos abusos de Nassar já estivesse aberta, ninguém do FBI falou com ela.

Responsabilidade criminal por inação?

Este comitê do Senado terá que determinar, entre outras coisas, se há alguma responsabilidade (inclusive criminal) por parte da equipe de investigadores do FBI que tratou do caso e das diferentes instituições que dele participaram.

Exigindo justiça

A ginasta e vítima de abusos Maggie Nichols resumiu o objetivo do comitê do Senado: "Esta é nossa última chance para que a justiça seja feita."

Mais pessoas na prisão

O senador democrata Patrick Leahy, diante dos depoimentos, chegou a dizer que "mais gente deveria estar na cadeia" por causa desse assunto.

Um escândalo que não para de crescer

Embora quase todos os dados já fossem conhecidos, as declarações no Senado fizeram com que o escândalo do abuso de Larry Nassar ressurgisse perante a opinião pública.

Esconder abusos

No caso de Nassar, cumpriu-se esta injusta cultura na qual os abusos não são revelados se quem os comete é uma pessoa supostamente "respeitável".

Simone Biles e outras heroínas

Mas Simone Biles e o resto de suas colegas mostraram que seu talento para o esporte é igual a sua bravura. E que os abusos só ficam impunes se não são enfrentados.

Más para ti