Emergência climática: impactantes imagens dos estragos no planeta

Mares poluídos
Praias viram lixões em Bali
75% plástico
Também na Europa
Cidade do Panamá: lixo e pássaros
Quantas toneladas de lixo o oceano leva?
Poluição na Índia
Muito consumo, muito desperdício
Desmatamento: a Amazônia como exemplo trágico
Desmatamento
A neve e o gelo perpétuos estão perdidos
Aumento do nível da água
Ilhas submergidas
Eventos climáticos extremos
Neve em lugares incomuns
Incêndios
Inundações
Para onde o planeta caminha?
Mares poluídos

O problema do plástico nos oceanos tem dimensões trágicas. E ainda se torna uma ameaça ao modo de vida de países cuja principal indústria é o turismo. Alguém gostaria de se banhar nessas águas? Neste caso, a foto é da Tailândia, mas imagens semelhantes são reais em todo o mundo.

Praias viram lixões em Bali

As praias paradisíacas de Bali são transformadas em lixões de plástico quando há tempestades e ondas fortes. Todo o que o turismo de massa joga no mar é devolvido à orla. Até 80 toneladas por dia são coletadas durante estes períodos. Esta imagem é da praia de Jimbaran.

75% plástico

E o cálculo feito pelas autoridades indonésias é claro: 75% do lixo que se acumula em suas praias é composto de plástico, um inimigo climático absolutamente mortal.

Também na Europa

Obviamente, estamos falando de um problema mundial. Esta é uma foto de uma praia italiana perto de Nápoles.

Cidade do Panamá: lixo e pássaros

O lixo que chega do mar às costas é a prova de como estamos destruindo os ecossistemas oceânicos. Já é evidência científica que a fauna marinha está morrendo. Sem contar que humanos e outros animais estão ingerindo microplásticos presentes nos peixes.

Quantas toneladas de lixo o oceano leva?

Em 2018, The New York Times divulgou pesquisas científicas que advertem para a presença de 87 mil toneladas de lixo no Oceano Pacífico. O pior é que, depois do alerta, o ser humano não conseguiu reduzir este volume.

Poluição na Índia

Esta foto da cidade de Lahore, na Índia, deixa claro o que a poluição pode causar em um ambiente urbano. De acordo com um estudo publicado pela 'Environmental Research', mais de oito milhões de pessoas morrem prematuramente a cada ano como resultado da poluição produzida pelo uso de combustíveis fósseis.

Muito consumo, muito desperdício

O acúmulo de lixo é um problema nos países pobres e ricos. Na imagem, um aterro sanitário em Bangladesh, cujas áreas urbanas produzem 25 mil toneladas de lixo todos os dias. O planeta não aguenta tanto.

Desmatamento: a Amazônia como exemplo trágico

Estima-se que 17% da floresta amazônica já tenha sido desmatada, e o atual governo brasileiro, presidido por Jair Bolsononaro, não só não parou esse processo como introduziu medidas que relaxam a proteção do pulmão do planeta.

Desmatamento

Mas não é só a Amazônia que sofre com o desmatamento, o fenômeno é global. Segundo a FAO (Agência de Alimentos e Agricultura das Nações Unidas), desde 1990, o planeta perdeu 81 milhões de hectares de florestas. E são elas quem nos fornecem oxigênio!

A neve e o gelo perpétuos estão perdidos

O planeta está esquentando e a neve e o gelo desaparecem em lugares onde antes eram um horizonte perpétuo. A NASA detectou com seus satélites que, nos meses de verão, quase metade da superfície da Groenlândia já está descongelada, algo que anos atrás não acontecia.

Aumento do nível da água

A elevação do nível do mar é um fato que já está causando estragos em algumas partes do globo. Na imagem, habitantes de Kiribati, uma ilha do Oceano Pacífico que vem perdendo superfície ano após ano, devido à irrupção do mar no continente.

Ilhas submergidas

Se continuar assim, Kiribati (na imagem), assim como outras ilhas em outras partes do mundo, pode acabar desaparecendo sob as águas.

Imagem: Funcionário do governo de Kiribati no decorrer de seu trabalho - Governo de Kiribati, CC BY 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=25227935

Eventos climáticos extremos

O aquecimento global está associada a eventos climáticos extremos que estão se tornando mais frequentes. Em 2021, tivemos uma onda de calor brutal e até então desconhecida na área da Colúmbia Britânica do Canadá. De acordo com a imprensa local, houve mais de 500 mortes devido às temperaturas excepcionalmente altas.

Neve em lugares incomuns

No lado oposto, a neve devastou Madri em janeiro de 2021. A tempestade Filomena atingiu o sul da Europa causando nevascas de dimensões nunca antes vistas. A capital da Espanha ficou praticamente paralisada por uma semana.

Incêndios

Grandes incêndios também são atribuídos, em parte, às mudanças climáticas provocadas pela existência menos florestas, mais secas, temperaturas mais altas e pelas cidade devorando o que antes era natureza. Califórnia ou Grécia (na imagem), para citar dois pontos do planeta, viveram momentos dramáticos neste 2021 por causa das chamas.

Inundações

E o mesmo pode ser dito das grandes inundações. Não é que não tenham ocorrido antes, mas, segundo a opinião científica, as mudanças no clima do planeta, que afetam os ecossistemas, o curso dos rios etc fazem com que sejam mais intensas. Em 2021, Alemanha (na imagem) e Bélgica viram suas populações sofrerem com chuvas muito fortes.

Para onde o planeta caminha?

O planeta mostra a emergência climática em imagens como essas. Os países estão cientes do problema e concordam com medidas, embora ainda insuficientes. De acordo com cientistas do painel de mudanças climáticas da ONU, o ano de 2030 é o limite até que danos irreversíveis ocorram ao clima da Terra.

Veja também: Os vulcões ativos mais perigosos do mundo

Más para ti