Fogo de lenha e outras estratégias europeias para um inverno sem gás russo

Outros recursos
Suíça tem medo do inverno
Vitrines sem luz
Monumentos e edifícios públicos
Uma cidade mais escura
Uma perspectiva
Preços disparados
Ajuda às famílias para pagar a energia
Objetivo: consumir 15% menos de gás
Alemanha poderá desacelerar a indústria
Gás russo na Alemanha
Alemanha diante do abismo
Chuveiros frios em Hannover
Edifícios públicos extintos
Monumentos escuros em Berlim
Frio e guerra
Natal sem luzes?
Outros recursos

Com a constante ameaça de corte de gás russo, os países da Europa organizam estratégias alternativas para sobreviver ao próximo inverno. Governos e população assumem que haverá falta de energia e já foram anunciadas medidas nesse sentido.

Imagem: Pixabay

Suíça tem medo do inverno

O receio das restrições de energia devido à guerra na Ucrânia fez com que a população suíça comprasse quantidades incomuns de lenha, no meio do verão.  É por isso que, segundo a Deutsche Welle, citando o canal de televisão suíço RTS, a madeira está acabando no país.

Imagem: Shalev Cohen/Unsplash

Vitrines sem luz

Na Espanha, entre as medidas para poupar energia está apagar as luzes das vitrines depois das dez horas da noite. Há queixas, já que a atividade de rua no país, a depender da época, pode durar até meia-noite.

Imagem: Roman Bodnarchuk/Unsplash

Monumentos e edifícios públicos

O governo espanhol também decretará o fechamento de monumentos e prédios públicos a partir das dez da noite. Na imagem, vemos a Alhambra, em Granada.

Uma cidade mais escura

A oposição criticou as restrições do governo espanhol à iluminação. Alguns políticos acreditam que isso significará conviver em uma cidade escura, com mais crimes e menos atraente para o turismo.

Foto: Unsplash/Carlos Zurita

Uma perspectiva "assustadora"

No Reino Unido, conforme publicado pela Bloomberg, há especialistas que descrevem as perspectivas energéticas para o inverno como "aterrorizantes".

Imagem: Robert Bye/Unsplash

Preços disparados

Emma Pinchbeck, diretora executiva da Energy UK, declarou à Bloomberg: "O inverno vai ser ruim (...) As projeções das altas dos preços são realmente assustadoras".

Imagem: Filip Bunkens/Unsplash

Ajuda às famílias para pagar a energia

Perante o previsível aumento do custo de energia, o governo britânico anunciou uma ajuda de 400 libras às famílias. Mas há especialistas que duvidam que esta quantia seja suficiente para assumir a enorme subida de preços.

Imagem: Ibrahim Boran/Unsplash

Objetivo: consumir 15% menos de gás

A União Europeia concordou que, após uma árdua negociação entre seus países membros, neste inverno, todos os países membros devem consumir 15% menos de gás. Isso implicará restrições em empresas e residências.

Imagem: Nathan Stanz/Unsplash

"A pior crise desde a Segunda Guerra Mundial"

Em uma análise econômica publicada em abril de 2022, no Financial Times,  a atual situação foi intitulada como "A pior crise desde a Segunda Guerra Mundial".

Alemanha poderá desacelerar a indústria

A frase faz referência à Alemanha, que poderá desacelerar sua produção industrial, por falta de energia. Na imagem, uma vista aérea da planta da BASF, grande produtora da indústria química alemã, em Ludwigshafen.

Gás russo na Alemanha

Até o início da guerra, a grande indústria alemã era alimentada pelo gás russo, que respondia por 55% da energia consumida no país.

Alemanha diante do abismo

Leonhard Birnbaum, CEO do grupo alemão de energia Eon, disse, em artigo publicado no Financial Times, acima mencionado: “Eu vi Fukushima. Vi tempos turbulentos. Mas o que vemos agora é algo sem precedentes."

Chuveiros frios em Hannover

Como os russos já cortaram o gás que enviam para a Alemanha, foram aprovadas medidas drásticas de economia de energia. Conforme publicado pela BBC no final de julho, em Hannover, a água quente foi cortada em centros esportivos municipais e outros prédios públicos.

Imagem: Bence Balla-Schottner/Unsplash

Edifícios públicos extintos

Além disso, assim como na Espanha, os prédios públicos de Hannover ficam com luzes apagadas, para economizar energia.

Monumentos escuros em Berlim

Em Berlim, conforme relatado pela Euronews, a energia de 200 edifícios foi desligada pelas noites, incluindo o emblemático palácio presidencial.

Foto: Iars Kuczynski/Unsplash

Frio e guerra

Neste inverno, a paisagem que se desenha na Europa é a de um continente que sofre as consequências de uma guerra.

Imagem: Frederico Almeida/Unsplash

Natal sem luzes?

Dada a atual crise energética por conta da guerra, é possível que, no próximo Natal, a iluminação festiva seja limitada. Na imagem, vemos as típicas luzes natalinas, na cidade de Londres. Resta saber se a falta de energia permitirá seguir com a tradição.

Imagem: Jamie Davies/Unsplash

Más para ti