Os primeiros alvos do Kremlin em caso de 3ª Guerra Mundial

Revelações em canal público
Escalação
Um pouco da Rússia no Báltico
O Corredor Suvalkovksy
Tropas russas e exércitos da OTAN
Guerra das Estrelas
Ataque anti-míssil
Alvo: Londres
Desativando a Europa
O que os EUA conseguiriam fazer?
Alguma montagem necessária
A lista de alvos da Rússia
Declarações não confiáveis?
Mais perguntas do que respostas
"Grande guerra colossal"

Andrey Gurulyov é um general aposentado, que atua, hoje em dia, como deputado na Rússia. Ele afirma que o país está se armando para uma “grande guerra colossal”.

Revelações em canal público

Recentemente, Gurulyov falou para o canal estatal Russia-1 sobre quais seriam os alvos de Putin no caso de iniciar-se uma nova Guerra Mundial.

Imagem: Rússia-1

Escalação

Segundo a Sky News, Gurulyov, que também é membro do comitê de defesa da legislatura, garantiu que esse conflito global pode surgir a partir de um bloqueio em Kaliningrado.

Imagem: Soldados alemães em exercícios da OTAN, em maio de 2022.

Um pouco da Rússia no Báltico

Kaliningrado é um enclave portuário russo no Mar Báltico, entre a Polônia e a Lituânia, ambos países da OTAN. As comunicações e o abastecimento, através dele, são uma questão complicada.

Imagem: Aleksey Malinovski / Unsplash

O Corredor Suvalkovksy

Especialistas perguntam-se sobre a possibilidade de a Rússia tentar criar um corredor, que chamam de Suvalkovsky, para conectar Kaliningrado ao resto do país.

Tropas russas e exércitos da OTAN

O general aposentado, segundo o The Sun, argumentou que esta era uma armadilha que cercaria as tropas russas com exércitos inimigos. No entanto, ações poderiam ser tomadas se a OTAN bloqueasse Kaliningrado.

Imagem: Rússia-1

Guerra das Estrelas

O primeiro passo lógico, segundo Gurulyov, seria desabilitar o sistema de satélites do inimigo.

"Nós veríamos todos como OTAN"

“Ninguém se importaria se fossem americanos ou britânicos. Nós veríamos todos como OTAN”, comenta Gurulyov, conforme citado pelo The Daily Mail.

Ataque anti-míssil

Em segundo lugar, A Rússia mitigaria o sistema antimísseis do inimigo “100%, em todos os lugares”, acrescentou Gurulyov.

Alvo: Londres

“Certamente não começaríamos com Paris, Varsóvia ou Berlim”, disse Gurulyov aos repórteres do Russia-1. “O primeiro alvo seria Londres. Está claro que a ameaça ao mundo vem dos anglo-saxões”.

Desativando a Europa

“Como parte da operação para destruir locais de importância crítica, a Europa Ocidental seria cortada e imobilizada”, declarou o ex-militar. O The Sun aponta que, como muitos outros radicais russos, Gurulyov acredita que a União Europeia é muito branda para envolver-se em uma guerra real.

O que os EUA conseguiriam fazer?

Gurulyov pôs em dúvida se os Estados Unidos conseguiriam manter a Europa lutando sem comida ou energia, e por quanto tempo Washington DC conseguiria evitar conflitos.

Alguma montagem necessária

“Este é o plano aproximado”, declarou Gurulyov. E continuou: “Deliberadamente deixo de fora certos momentos porque eles não devem ser discutidos na TV”.

Imagem: Rússia-1

A lista de alvos da Rússia

Em outro programa de TV, o general aposentado enumerou os possíveis países que a Rússia pode ser forçada a envolver-se em seguida: Polônia, Eslováquia, Hungria e Romênia.

Declarações não confiáveis?

Entretanto, é preciso considerar que, apesar do papel de Gurulyov no governo, atualmente, ele não é mais um membro ativo das forças armadas.

Mais perguntas do que respostas

Sua proximidade com o presidente russo Vladimir Putin e com seu círculo íntimo rendeu-lhe sanções por parte dos Estados Unidos. Portanto, não sabe-se ao certo se o que Andrey Gurulyov diz é algo que ele realmente conhece ou o que ele quer que acreditemos.

Más para ti