Milhares de migrantes presos na fronteira norte da Europa; entenda!

Lágrimas na fronteira
Exército bielorrusso impede retorno
Crise humanitária
Vítimas mais vulneráveis
Polônia acusa Belarus
Crise humanitária e vidas em perigo
Tensão quase bélica
De onde vêm esses migrantes?
Letônia e Lituânia na mesma situação
Se o frio aumentar, haverá mortes
OTAN apoia a Polônia
Sobreviver ao ar livre
Uma espera sem horizonte
Um drama que não para
O sonho de chegar à Europa
Possibilidade de confronto
Expulsões da Polônia
Mão dura
Um muro como o de Trump
ONGs preocupadas com os migrantes
Munição para a extrema direita
Lágrimas na fronteira

Uma criança chora na terra de ninguém que separa a Polônia de Belarus. Milhares de migrantes que querem entrar na União Europeia mudaram-se para lá no começo de novembro. A missão é impossível. O governo polonês enviou soldados para mantê-los fora de seu território.

Exército bielorrusso impede retorno

O problema não acaba por aí. Os migrantes também não podem recuar. Alguns deles relataram a meios de comunicação como a BBC que o exército bielorrusso os empurra em direção à fronteira.

Crise humanitária

Estima-se que até 4 mil pessoas estão encurraladas na fria região. Homens, mulheres e crianças provenientes do Oriente Médio e da Ásia. Muitos montaram um acampamento improvisado, mas a situação é de calamidade.

"Não há como escapar"

Um dos migrantes presos na fronteira entre a Polônia e Belarus relatou sua angústia à BBC: "Não há como escapar. A Polônia não nos deixa entrar. Todas as noites voam com helicópteros. Não nos deixam dormir. Estamos com tanta fome. Não há água ou comida aqui".

Vítimas mais vulneráveis

As imagens de crianças e idosos envolvidos nesta tragédia são estarrecedoras. Mas qual é a origem desta nova crise migratória?

Polônia acusa Belarus

Os migrantes são peças geoestratégicas na tensão quase bélica que existe entre a Polônia e a Belarus. As autoridades polonesas (e de outros países bálticos) acusam o país vizinho de liderar grandes grupos de pessoas para as fronteiras da União Europeia.

Crise humanitária e vidas em perigo

O governo de Belarus estaria usando estes solicitantes de refúgio como arma política para que a União Europeia retire as sanções impostas ao país, cujo governo é acusado de fraude nas eleições e forte repressão. Belarus tem ameaçado, inclusive, cortar o fornecimento de gás ao continente.

Tensão quase bélica

A mobilização militar polonesa parece ter sido montada para uma guerra: 15.000 soldados foram posicionados ao longo da fronteira. E o Ministério da Defesa do país garantiu que outros 10.000 soldados serão adicionados para reforçar a segurança.

De onde vêm esses migrantes?

Esta onda de migrantes que procuram entrar na União Europeia vem de países como Iraque, Afeganistão e Síria.

Letônia e Lituânia na mesma situação

A Letônia e a Lituânia sofreram um problema semelhante em suas fronteiras, em agosto de 2021, e também culparam o governo de Belarus.

Se o frio aumentar, haverá mortes

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, exigiu que Belarus pare de empurrar os migrantes para a fronteira e advertiu que há vidas em jogo. O inverno está próximo e as temperaturas caem a cada dia.

OTAN apoia a Polônia

O clima é de perigo. Enquanto há migrantes portando armas não convencionais como forma de pressão, a OTAN expressa abertamente o seu apoio à Polônia.

Sobreviver ao ar livre

O Euronews noticiou que a União Europeia está disposta a punir duramente a Belarus, país presidido por Aleksandr Lukashenko, cujo carácter democrático está a ser questionado.

Uma espera sem horizonte

Enquanto isso, os seres humanos vivem em condições miseráveis e trágicas às portas da Europa. Esperam, sem avançar para nenhum dos lados, uma resolução da situação.

Um drama que não para

As migrações em massa são um drama incessante para os países envolvidos. Do outro lado do Atlântico, não faz muito tempo que haitianos foram perseguidos na fronteira do México com os Estados Unidos.

O sonho de chegar à Europa

A Espanha é outro território da Europa muito almejado. Africanos, especialmente do Marrocos, arriscam suas vidas em canoas (e inclusive nadando) para chegar ao sul do país. Muitos afogam-se no Mar Mediterrâneo.

Possibilidade de confronto

Teme-se que possa haver um confronto entre as tropas polonesas e bielorrussas. Ninguém poderia imaginar tal cenário, mas tanto a Polônia quanto a Belarus fizeram declarações extremamente agressivas. No meio, os migrantes.

Expulsões da Polônia

Por enquanto, a Polônia está expulsando rapidamente qualquer um que intercepte ao entrar ilegalmente em seu território. Dezenas de migrantes já foram deportados com urgência.

Mão dura

O governo polonês de extrema direita quer mostrar que esta é a linha certa para a Europa. Nada de acolhimento e humanitarismo, e sim expulsão e defesa a todo custo das fronteiras.

Um muro como o de Trump

De acordo com a Euronews, a Polônia planeja gastar US $ 350 milhões para construir um muro de fronteira, no estilo ao que Trump prometeu (e, em parte, construiu) nos Estados Unidos. O governo polonês quer que a União Europeia ajude a financiá-lo.

ONGs preocupadas com os migrantes

Somente as ONGs sugerem a opção de que os países europeus hospedem esses deslocados. O problema da imigração continua muito complicado para todos os governos do continente.

Munição para a extrema direita

A extrema direita europeia está em ascensão e as imagens dos migrantes nas fronteiras são munições para o seu discurso. Os partidos extremistas falam de uma "invasão" contra a qual é preciso defender-se.

Más para ti