Assim ficarão as cidades em 2050, se não frearmos a crise climática

Um planeta submerso
Rio de Janeiro, Brasil
Washington, Estados Unidos
Hong Kong, China
Londres, Reino Unido
Ilha Paradise, Bahamas
Dubai, Emirados Árabes Unidos
Sevilha, Espanha
Antuérpia, Bélgica
Adelaide, Austrália
Melbourne, Austrália
Bordéus, França
Copenhague, Dinamarca
Sevilha, Espanha
Cidade do Cabo, África do Sul
Nice, França
Dublin, Irlanda
Victoria, Canadá
Quebec, Canadá
Estocolmo, Suécia
Guangzhou, Hong Kong
Taipei, Taiwan
Anglet, França
Split, Croácia
Barcelona, Espanha
Haia, Holanda
Havana, Cuba
Túnis, Tunísia
West Palm Beach, Estados Unidos
Copenhague, Dinamarca
São Francisco, Estados Unidos
Bristol, Reino Unido
Santa Mônica, Estados Unidos
Xangai, China
Piraeus, Grécia
São Petersburgo, Rússia
Nova York, Estados Unidos
Sydney, Austrália
Rio de Janeiro, Brasil
Honolulu, Havaí
Oslo, Noruega
Hamburgo, Alemanha
Washington, Estados Unidos
Estocolmo, Suécia
Mumbai, índia
A emergência climática
Um planeta submerso

Este lugar parece familiar? É o Palácio de Buckingham, na Inglaterra! A diferença é que está ilhado. Em 2050, esta foto pode tornar-se real. Muitos estudos estimam que as temperaturas podem subir 3°C nos próximos trinta anos, o que faria com que o nível do mar aumentasse em todo o mundo. Para conscientizar a população da emergência climática em que nos encontramos, os cientistas da Climate Central ilustraram como ficarão alguns lugares emblemáticos do nosso planeta se não agirmos. Veja na galeria!

Foto: Clima Central

Rio de Janeiro, Brasil

O Copacabana Palace é um hotel de luxo localizado em frente à famosa Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Esta seria sua fachada, em 2050.

Foto: Clima Central

Washington, Estados Unidos

Os jardins da Colina do Capitólio, onde está o Congresso dos Estados Unidos, praticamente desapareceriam.

Foto: Clima Central

Hong Kong, China

Inundados ficariam os arredores da Torre do Banco da China (Bank of China Tower), um dos arranha-céus mais altos de Hong Kong.

Foto: Clima Central

Londres, Reino Unido

Catedral de St. Paul, em Londres, onde o príncipe Charles e Diana Spencer celebraram seu casamento, em 1981.

Foto: Clima Central

Ilha Paradise, Bahamas

Resort Atlantis Bahamas, localizado na ilha Paradise. Ou o que sobraria dela.

Foto: Clima Central

Dubai, Emirados Árabes Unidos

Burj Khalifa, a torre mais alta do mundo e símbolo de Dubai.

Foto: Clima Central

Sevilha, Espanha

Catedral de Santa Maria de Sevilha, a maior da Espanha e uma das maiores do mundo em área.

Foto: Clima Central

Antuérpia, Bélgica

Catedral de Nossa Senhora, em Antuérpia, na Bélgica.

Foto: Clima Central

Adelaide, Austrália

Aeroporto Internacional de Adelaide, Austrália.

Foto: Clima Central

Melbourne, Austrália

Quadras de tênis do Australian Open, onde realiza-se o famoso torneio de Grand Slam.

Foto: Clima Central

Bordéus, França

Catedral de Saint-André em Bordéus, a mais imponente da cidade.

Foto: Clima Central

Copenhague, Dinamarca

O Palácio de Christiansborg foi a principal residência da família real dinamarquesa e agora é a sede do parlamento dinamarquês.

Foto: Clima Central

Sevilha, Espanha

A Plaza de España, em Sevilha, é espetacular e serviu, inclusive como cenário para filmes. Em 2050 sua beleza ficaria debaixo d'água.

Foto: Clima Central

Cidade do Cabo, África do Sul

Este seria o belo Blue Train Park na Cidade do Cabo, África do Sul.

Foto: Clima Central

Nice, França

A Catedral Sainte-Réparate, localizada no bairro de Old Nice, nos Alpes-Maritimes, deixaria de receber fiéis e turistas, assim.

Foto: Clima Central

Dublin, Irlanda

O Castelo de Dublin, antiga sede do poder britânico e grande símbolo da história irlandesa, seria amplamente afetado pela subida das águas.

Foto: Clima Central

Victoria, Canadá

Fisherman's Wharf Park, um local icônico na cidade de Victoria, Canadá.

Foto: Clima Central

Quebec, Canadá

Place Royale é o coração histórico da cidade de Quebec, onde está localizada a igreja Notre-Dame-des-Victoires. Podemos ver que todo o bairro seria afetado.

Foto: Clima Central

Estocolmo, Suécia

Catedral de Gotemburgo, templo da Igreja da Suécia e monumento imperdível na capital sueca.

Foto: Clima Central

Guangzhou, Hong Kong

A Praça Huacheng é a maior praça da cidade portuária de Guangzhou, localizada a noroeste de Hong Kong. Jamais voltaríamos a vê-la a céu aberto.

Foto: Clima Central

Taipei, Taiwan

O Templo de Longshan é um famoso templo budista localizado na capital de Taiwan.

Foto: Clima Central

Anglet, França

No sudoeste da França, a Plage des Cavaliers, em Anglet, é um destino muito popular para surfistas. Mas poderia virar um lugar de paddleboarding!

Foto: Clima Central

Split, Croácia

Com sua arquitetura romana, o Palácio de Diocleciano é um dos edifícios da antiguidade mais bem preservados do mundo, no centro histórico de Split, na Croácia.

Foto: Clima Central

Barcelona, Espanha

O Parc de la Ciutadella é o maior parque de Barcelona e um dos mais turísticos. Ninguém poderia passear nele.

Foto: Clima Central

Haia, Holanda

Em Haia, o Palácio da Paz é a sede do Tribunal Internacional de Justiça das Nações Unidas. Como a Holanda já está parcialmente abaixo do nível do mar, seria particularmente afetada.

Foto: Clima Central

Havana, Cuba

A Praça da Catedral, em Havana, Cuba, seria lembrada somente através de cartões-postais.

Foto: Clima Central

Túnis, Tunísia

As ruas da capital tunisina e a Cité Jardin, uma praça famosa da cidade, também ficariam inundadas.

Foto: Clima Central

West Palm Beach, Estados Unidos

Rosemary Square é um conhecido shopping center na Flórida.

Foto: Clima Central

Copenhague, Dinamarca

O Castelo de Rosenborg, no centro de Copenhague, abriga as joias da monarquia dinamarquesa.

Foto: Clima Central

São Francisco, Estados Unidos

Na Califórnia, o Museu de Arte Moderna de São Francisco é um dos maiores dedicados à arte contemporânea.

Foto: Clima Central

Bristol, Reino Unido

Aqui vemos como ficaria o Lloyds Amphitheatre, localizado em Bristol.

Foto: Clima Central

Santa Mônica, Estados Unidos

Perto de Los Angeles, Santa Monica é conhecida por seu parque de diversões Pacific Park e por uma das praias mais famosas do mundo. Esta impressionante imagem mostra o quanto a cidade seria afetada.

Foto: Clima Central

Xangai, China

Lujiazui é o bairro moderno de Xangai, conhecido por seus enormes arranha-céus.

Foto: Clima Central

Piraeus, Grécia

A Igreja ortodoxa de São Nicolau, em Piraeus, está localizada perto de Atenas.

Foto: Clima Central

São Petersburgo, Rússia

O State Hermitage é o maior museu do mundo e está localizado em São Petersburgo, na Rússia.

Foto: Clima Central

Nova York, Estados Unidos

Assim veremos este ícone de Nova York e monumento mais famoso dos Estados Unidos.

Foto: Clima Central

Sydney, Austrália

A arquitetura original da Sydney Opera House a tornou um dos símbolos da cidade e de toda a Austrália.

Foto: Clima Central

Rio de Janeiro, Brasil

Chegar à Universidade Federal do Rio de Janeiro poderia ser impossível.

Foto: Clima Central

Honolulu, Havaí

O ʻIolani Palace foi a antiga residência dos últimos governantes havaianos e pode ser visitado hoje.

Foto: Clima Central

Oslo, Noruega

O Studenterlunden Park é um grande parque localizado no centro de Oslo. É onde fica o Teatro Nacional.

Foto: Clima Central

Hamburgo, Alemanha

O Rothenburgsort é um distrito de Hamburgo, no norte da Alemanha, e se as coisas não mudarem... não restará muito.

Foto: Clima Central

Washington, Estados Unidos

O Lincoln Memorial é um famoso monumento de Washington construído em homenagem a Abraham Lincoln, o primeiro presidente republicano da história dos Estados Unidos.

Foto: Clima Central

Estocolmo, Suécia

O Palácio Real de Estocolmo é a residência oficial dos monarcas da Suécia e está localizado no norte de sua capital.

Foto: Clima Central
Mumbai, índia

O Chhatrapati Shivaji Maharaj Vastu Sangrahalaya é um museu em Mumbai centrado na história da Índia. Ficaria debaixo d'água.

Foto: Clima Central

A emergência climática

É assustador saber que esta poderá ser nossa nova realidade: um planeta submerso e uma vida cada vez mais difícil. Com a subida das águas, também multiplicariam-se os resíduos e as dificuldades para obter água potável e alimentos. E estes são só alguns dos muitos problemas que enfrentaríamos. Essas fotos deixam muito claro que devemos agir!

Más para ti