Queda no abismo em Wall Street
Equivalente ao PIB de Portugal
Sem Facebook ou Instagram na Europa?
Sem uso de dados não há negócio
Mais difícil de rastrear
Dados são dinheiro
Grande demais para cair?
Tik Tok é o inimigo
Facebook perde usuários pela primeira vez em sua história
Transferência de dados
Uma realidade complicada
Resposta da União Europeia
Sem medo de gigantes da tecnologia na Europa
Privacidade e segurança nacional
Meta ou a revolução pendente
Metaverso
Sonho ou pesadelo?
A volta ao Second Life
Escândalos passados (e futuros?)
Ainda o mesmo serviço
A hora mais sombria do Facebook
(1/20)
Queda no abismo em Wall Street

A Meta, controladora do Facebook, sofreu sua maior queda no mercado de ações de Wall Street, no início de fevereiro de 2022. O valor da empresa despencou mais de 26%, o que equivale a cerca de 230 bilhões de dólares.

A hora mais sombria do Facebook
(2/20)
Equivalente ao PIB de Portugal

Uma comparação pode dar ideia da dimensão da perda económica enfrentada pelo Facebook (agora Meta): 230 bilhões de dólares americanos é aproximadamente todo o Produto Interno Bruto de Portugal. Estamos falando do maior crash do mercado de ações que uma empresa sofreu na história de Wall Street.

A hora mais sombria do Facebook
(3/20)
Sem Facebook ou Instagram na Europa?

Ao mesmo tempo, a empresa ameaçou retirar o Facebook e o Instagram da União Europeia devido à regulamentação de uso de dados que foi imposta na região.

A hora mais sombria do Facebook
(4/20)
Sem uso de dados não há negócio

A Meta baixou o nível de ameaça em poucas horas e parece que as pessoas ainda poderão usar o Facebook e o Instagram na União Europeia. Mas, no fundo, o que há é uma grande preocupação por parte de Mark Zuckerberg. Os cálculos internos de sua empresa preveem um cenário muito menos lucrativo se os dados dos usuários não puderem ser utilizados comercialmente.

A hora mais sombria do Facebook
(5/20)
Mais difícil de rastrear

De acordo com The New York Times, os novos protocolos de privacidade da Apple podem fazer com que a Meta perca US$ 10 bilhões em receita, pois dificulta o rastreamento de dados de usuários do iPhone.

A hora mais sombria do Facebook
(6/20)
Dados são dinheiro

Uma análise da Investopedia observa que 97% da renda da Meta vem da publicidade que consegue vender, segmentando dados demográficos. Ou seja: os anunciantes recebem detalhes do perfil do usuário e, a partir daí, pode colocar anúncios mais atraentes para eles e em espaços específicos.

A hora mais sombria do Facebook
(7/20)
Grande demais para cair?

Com o Facebook, neste momento, cumpre-se a frase recorrente no mundo dos negócios: "é grande demais para falir". Mas sua queda em Wall Street arrastou outras empresas de tecnologia como Twitter, Spotify e Amazon.

A hora mais sombria do Facebook
(8/20)
Tik Tok é o inimigo

Ao mesmo tempo, Zuckerberg admitiu ao The New York Times que a empresa estava tendo problemas para competir com a plataforma de mídia social rival TikTok.

A hora mais sombria do Facebook
(9/20)
Facebook perde usuários pela primeira vez em sua história

O Facebook também afirmou, em fevereiro, que vem perdendo usuários no mundo, pela primeira vez desde que foi criada. A rede social está tendo problemas para atrair as gerações mais jovens.

A hora mais sombria do Facebook
(10/20)
Transferência de dados

Além disso, de acordo com a Bloomberg, a disputa em curso com os reguladores da UE coloca em risco a possibilidade de continuar a transferir dados para os Estados Unidos.

A hora mais sombria do Facebook
(11/20)
Uma realidade complicada

"A realidade simples é que a Meta depende de transferências de dados entre a UE e os EUA para oferecer serviços globais", disse a Bloomberg citando um porta-voz da empresa.

A hora mais sombria do Facebook
(12/20)
Resposta da União Europeia

Representantes do governo francês e alemão responderam à ameaça de Mark Zuckerberg.

A hora mais sombria do Facebook
(13/20)
Sem medo de gigantes da tecnologia na Europa

“Os gigantes digitais devem entender que o continente europeu resistirá e afirmará sua soberania”, disse o ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire.

A hora mais sombria do Facebook
(14/20)
Privacidade e segurança nacional

De qualquer forma, a Comissão Europeia continuará negociando com a Meta. Seu objetivo declarado é tornar os dados compatíveis com as diretrizes da UE, ao mesmo tempo em que alcança um equilíbrio entre privacidade e segurança para os países europeus.

A hora mais sombria do Facebook
(15/20)
Meta ou a revolução pendente

Em 2021, Mark Zuckerberg revelou que sua empresa estava mudando de nome para Meta. Era uma promessa de revolução para a rede social.

A hora mais sombria do Facebook
(16/20)
Metaverso

O conceito Meta foi construído em torno da ideia do Metaverso, uma realidade virtual que redefiniria as interações sociais online como as conhecemos. O investimento que a empresa pretende fazer neste projeto é de 10 bilhões de dólares.

A hora mais sombria do Facebook
(17/20)
Sonho ou pesadelo?

O Metaverso, como Mark Zuckerberg descreveu, será um mundo de fantasia alimentado por uma mistura de tecnologia e nossos sonhos mais loucos. Algo como 'Ready Player One'.

Imagem: Warner Bros.

A hora mais sombria do Facebook
(18/20)
A volta ao Second Life

Mas alguns não viram novidades neste fabuloso metaverso prometido por Zuckerberg. Rachel Metz descreveu-o na CNN como "uma combinação desolada de outro aplicativo de realidade virtual social, Rec Room, e o mundo virtual pioneiro criado pelo usuário, Second Life (foto)".

A hora mais sombria do Facebook
(19/20)
Escândalos passados (e futuros?)

Talvez o verdadeiro objetivo de Mark Zuckerberg seja reinventar sua empresa para que ela seja limpa de escândalos relacionados ao tão discutido uso de dados politicamente direcionados, que levaram a escândalos como Brexit e Cambridge Analytica.

A hora mais sombria do Facebook
(20/20)
Ainda o mesmo serviço

Parece que a mudança apressada para o Meta foi uma tentativa de se livrar de um nome muito contestado, o Facebook. Uma mera mudança de reputação porque, por enquanto, os serviços oferecidos por Mark Zuckerberg são os mesmos de antes.

Más para ti